Giro: Pirazzi e Ruffoni despedidos da Bardiani--CSF depois de acusarem doping

| Outras Modalidades

Legenda da Imagem
|

Os ciclistas italianos Stefano Pirazzi e Nicola Ruffoni, da Bardiani--CSF, foram despedidos da equipa italiana ao verem esta sexta-feira confirmados os resultados positivos do controlo antidoping a que foram sujeitos antes da Volta a Itália.

Os dois ciclistas, que estavam escalados para participar no Giro, foram suspensos preventivamente a 04 de maio, segundo anunciou a União Ciclista Internacional (UCI), depois de terem sido 'apanhados' num controlo surpresa em abril, vendo agora os resultados confirmados na contra-análise.

Além de terem abandonado a equipa do escalão continental, que participa na 100.ª edição da 'corsa rosa' com apenas seis ciclistas, Ruffoni e Pirazzi vão sofrer sanções por terem acusado uma hormona de crescimento.

Também a Bardiani poderá sofrer uma suspensão, que pode oscilar entre os 14 e os 45 dias, com a decisão final nas mãos da Comissão Disciplinar da UCI, que poderá suspender a formação ainda durante o Giro, impedindo-a de terminar a prova, cuja última etapa está marcada para 28 de maio.

Pirazzi, de 30 anos, vencedor de uma etapa do Giro em 2014, deveria chefiar a equipa, na sua sétima participação na corrida, enquanto Ruffoni, de 26 anos, iria participar na 'corsa rosa' pela quarta vez.

A informação mais vista

+ Em Foco

Passaram sete anos desde o início das “Primaveras Árabes”. Regimes mudaram, guerras civis rebentaram, houve conflitos que alteraram dinâmicas regionais e vazios de poder que deram origem a Estados falhados.

Veja ou reveja a primeira entrevista de Rui Rio depois de ter sido eleito presidente do PSD.

Na hora da despedida da liderança social-democrata, as juventudes partidárias olham para o legado do ex-primeiro-ministro, com uma pergunta em mente: se Portugal não falhou, o que dizer de Pedro Passos Coelho?

    Uma caricatura do mundo em que vivemos.