Comité Olímpico e Governo discutem na sexta-feira contrato-programa para Tóquio2020

| Outras Modalidades

|

O Comité Olímpico de Portugal (COP) reúne-se na sexta-feira com a secretaria de Estado da Juventude e do Desporto para analisar a proposta de contrato-programa para os Jogos Olímpicos Tóquio2020, que prevê alterações na integração dos atletas.

O presidente do COP, José Manuel Constantino, explicou que em termos financeiros a proposta é superior à apresentada para os Jogos Rio2016, mas referiu que "mais importante que falar sobre dinheiro é analisar o modelo de preparação".

Segundo José Manuel Constantino, que falava à margem da assinatura de um protocolo de parceria com a Toyota, "a proposta prevê um modelo com duas dimensões de atletas: a elite e a top-elite", tendo em conta os objetivos dos atletas, e foi previamente discutida com as federações.

O presidente do COP considerou "positiva" a atribuição simultânea da organização de duas edições formalizada na quarta-feira pelo Comité Olímpico Internacional (COI).

"Foi a melhor opção e parece-me positiva, arruma a questão de quem organiza o quê e estabilizar a situação por mais tempo", referiu o presidente do COP, comentando a atribuição dos Jogos de 2024 a Paris e 2028 a Los Angeles.

Ao abrigo do protocolo hoje assinado com a marca nipónica, que também patrocina o COI, o COP irá usufruir de viaturas, serviços e um apoio financeiro.

De acordo com José Manuel Constantino, pela primeira vez, o protocolo com a marca automóvel, estende-se pela primeira vez a atletas, treinadores e ex-atletas.

A informação mais vista

+ Em Foco

No 20.º aniversário da Exposição Universal sobre os Oceanos, a Antena 1 e a RTP estiveram à conversa com alguns dos protagonistas do evento.

    Um dos mais conceituados politólogos sul-coreanos revelou à RTP o modo de pensar e agir de Pyongyang.

    Portugal foi oficialmente um país neutro na 2ª guerra Mundial. Mas isso não impediu que quase mil portugueses tivessem sido deportados, feitos prisioneiros ou escravos pelos nazis.

      Uma caricatura do mundo em que vivemos.