Morreu o estudante norte-americano que tinha sido libertado pela Coreia do Norte

| Mundo

|

Morreu o estudante norte-coreano que o regime norte-coreano tinha libertado recentemente. Otto Warmbier, com 22 anos, morreu hoje, informou a família. Warmbier tinha sido detido em janeiro de 2016 no aeroporto de Pyongyang, ao preparar-se para regressar aos Estados Unidos.

As autoridades norte-coreanas alegavam então estar na posse de imagens de videovigilância que mostrariam o estudante da Universidade da Virgínia a tentar roubar um cartaz de propaganda no hotel da capital em que estava hospedado.

Natural de Cincinnati, no Estado norte-americano do Ohio, Otto Warmbier estudou Economia na Universidade da Virgínia. Foi detido a 2 de janeiro do ano passado, no termo de uma viagem turística à Coreia do Norte.

Um mês depois de ser levado para os calabouços do regime de matriz estalinista, surgia perante as câmaras da televisão estatal norte-coreana a confessar o furto de que era acusado. Em lágrimas, diria ter tentado levar o cartaz como um “troféu” para uma igreja nos Estados Unidos.

“O objetivo da minha tarefa era prejudicar a motivação e a ética de trabalho do povo coreano”, afirmou, numa declaração que Washington considerou forçada.

A 16 de março, em julgamento sumário, Warmbier era condenado a 15 anos de prisão por crimes contra o Estado.

A informação mais vista

+ Em Foco

Falta apenas uma semana para as eleicões gerais em Angola. Apesar da crise que afeta o país, os preços imobiliários em Luanda fazem da capital angolana a cidade mais cara do mundo.

Os responsáveis pelo parque prometeram valorizá-lo e vão renovar a frota automóvel e envolver operadores privados nas visitas aos núcleos de gravuras rupestres.

O maior banco francês fez soar os alarmes na Europa ao suspender três fundos de investimento relacionados com créditos nos Estados Unidos.

Natalidade, envelhecimento, turismo, agricultura, emigração, pobreza, saúde, desigualdades. A caminho das autárquicas a Antena 1 fixa o país em 20 retratos.