Blatter defende regresso de Platini para liderar a UEFA ou a FIFA

| Futebol Internacional

|

O ex-presidente da FIFA, o suíço Joseph Blatter, defendeu hoje o regresso do francês Michel Platini, antigo presidente da UEFA, suspenso por quatro anos, à liderança do organismo europeu ou mundial de futebol.

"É preciso que [Platini] regresse. Pode regressar para assumir o comando da UEFA ou da FIFA", sustentou Blatter, também suspenso por conduta antiética, em entrevista à AFP, assinalando que para que isso acontecesse seria necessária a redução da pena imposta ao francês.

Platini, de 61 anos, foi suspenso por oito anos pelo Comité de Ética da FIFA, na sequência do inquérito interno iniciado em junho de 2015, um mês após a polícia suíça ter detido sete altos dirigentes, acionando o maior escândalo de corrupção na história do futebol.

O ex-presidente da UEFA viu a pena ser reduzida para seis anos pelo órgão de recurso do organismo regulador do futebol mundial, tendo posteriormente recorrido para o Tribunal Arbirtra dl Desporto (TAS), que reduziu a suspensão em mais dois anos, para um total de quatro.

"É possível reabrir o processo se forem descobertos factos novos e estamos prestes a saber se existem", afirmou Blatter, de 81 anos, assegurando mesmo dispor de elementos que podem conduzir à revisão das sanções de ambos.

A informação mais vista

+ Em Foco

Os portugueses escolhem os seus representantes locais a 1 de outubro. Acompanhe aqui a campanha, os debates e toda a informação sobre as eleições Autárquicas.

    A deriva independentista do nacionalismo catalão está a revelar-se mais grave do que Madrid previa inicialmente. Temos posições que não permitem qualquer margem para diálogo e que conduziram o processo a um impasse.

    Um ensaio do LNEC e do Instituto Superior Técnico, no âmbito do KnowRisk, evidencia a importância da tomada de medidas preventivas. Veja os vídeos e compare os dois casos.

    A Alemanha aproxima-se da data do escrutínio de 24 de Setembro com uma economia próspera: muita exportação, muita construção, receitas fiscais abundantes, orçamentos públicos excedentários. O reverso da medalha é a degradação de condições sociais para uma parte significativa da população.