Rutura de coletor na origem de dejetos junto ao Festival Iminente em Lisboa

por Lusa

A presença de dejetos junto ao Panorâmico de Monsanto, em Lisboa, onde decorreu o festival Iminente, deveu-se a uma rutura num coletor, revelou hoje à Lusa a Câmara Municipal, coorganizadora do evento.

Em resposta a um pedido de esclarecimento da agência Lusa, a autarquia explicou que no domingo foi detetada uma "rutura num coletor público, com a presença de dejetos e de um forte odor junto da encosta circundante ao parque de estacionamento" que serviu o festival de música e arte urbana.

Em causa está um vídeo divulgado no domingo, na rede social Facebook, por um homem que andava de bicicleta no parque florestal de Monsanto, e que revelava uma descarga de dejetos nas traseiras do edifício que acolheu o festival Iminente.

Em comunicado, o festival Iminente lamentou o sucedido, sublinhando que "cumpriu rigorosamente todas as diligências" para que "todo o ecossistema fosse respeitado e as regras de funcionamento e de descargas cumpridas".

"A filosofia do festival pauta-se pelo respeito do espaço onde se insere, uma das causas que continuamos a abraçar é a do respeito para com o Parque Florestal de Monsanto", lê-se no comunicado do festival.

À Lusa, a Câmara Municipal de Lisboa explicou que a rutura foi detetada cerca das 14:00 de domingo, na sequência da denúncia, que tinha iniciado a limpeza do terreno e remoção das terras e que estava a analisar as causas, uma vez que o coletor tinha sido alvo de uma vistoria a 10 de agosto passado.

"Ao contrário do que tem sido referido, a presença de dejetos no terreno não está ligada ao uso das casas de banho [do festival], que são respeitadoras das mais elevadas normas ambientais, certificadas" pela câmara municipal, explica a autarquia.

Da parte do festival, é ainda explicado que foi contratada uma empresa para fazer "a aspiração e limpeza dos terrenos" para "minimizar qualquer tipo de impacto ambiental que possa ter sido causado".

A quarta edição do festival Iminente decorreu entre quinta-feira e domingo nos espaços do Panorâmico de Monsanto, um edifício localizado no Parque Florestal de Monsanto, que esteve várias décadas abandonado até ser convertido num miradouro de Lisboa.

Por causa do festival, no local foram instalados equipamentos de restauração, bares e zonas de casas de banho.

O festival Iminente, com curadoria de Alexandre Farto (Vhils), é coorganizado pela plataforma Underdogs e pela Câmara Municipal de Lisboa.

 

Tópicos