Inês Henriques de ouro nos Mundiais de Londres

| Atletismo

Inês Henriques ganhou a prova dos 50 km marcha e bateu o recorde do mundo que já lhe pertencia
|

Inês Henriques sagrou-se campeã dos 50 km marcha, com o registo de 4h05m56s novo recorde mundial, nos Mundiais de atletismo que terminam hoje em Londres.

A marchadora portuguesa conquistou a medalha de ouro nos 50 quilómetros marcha dos Mundiais de atletismo, que decorrem em Londres, juntando ao troféu o novo recorde do mundo, que já lhe pertencia.

Momentos depois de terminar a prova a atleta emocionada proferia as primeiras palavras ao microfone do jornalista da Antena 1, Eduardo Gonçalves.



A atleta do CN Rio Maior, de 37 anos, foi cronometrada em 4h05m56s, pulverizando o seu recorde mundial, que estava fixado nas 4h08m25s que datava de 15 de janeiro de 2017, em Porto de Mós.
Ouro e recorde mundial resultam de 25 anos de trabalho

A medalha de ouro é fruto de "25 anos de trabalho", disse a atleta que acrescentou: "Foi fantástico, não consigo descrever em palavras aquilo que estou a sentir. Isto é a recompensa de 25 anos de trabalho, do meu treinador Jorge Miguel e da minha equipa de Rio Maior".

Sobre a prova contou: "Os últimos quatro quilómetros foram muito duros, mas eu comecei a fazer contas e (pensei), Só tens de acabar tranquila. Não podia fazer muito mais esforço em termos musculares, foi mesmo gerir até ao fim".

A marchadora agradeceu aos portugueses que a apoiaram ao longo do circuito, junto ao palácio de Buckingham: "Estava quase em casa, porque ouvia muitos, muito portugueses".
Palmarés de Inês Henriques:
Local/data de nascimento: Santarém, 1 maio de 1980 (37 anos)

Clube: CN Rio Maior (desde 1992)

Treinador: Jorge Miguel (desde 1992)

Principais recordes pessoais:

20 km marcha - 1:29.00 (2016)

50 km marcha - 4:05.56 (Londres, 2017) Recorde do Mundo.

Principais resultados, em 20 km marcha:

7.ª no Mundial de 2007. (Sete participações, entre 2001 e 2015).

12.ª nos Jogos Olímpicos Rio2016 (também competiu em 2004 e 2012).

8.ª no Europeu de 2010 (Quatro participações, entre 2002 e 2014).

Vice-campeã nacional de 20 km (três vezes campeã) e atual campeã de 50 km.

Até chegar a Londres, Inês Henriques tinha no currículo três participações olímpicas, a última das quais no Rio2016, onde alcançou o 12º posto nos 20 km marcha. A atleta conta ainda um sétimo posto nos Mundiais de 2007 e um nono nos Europeus de 2010, sempre na distância dos 20 km.

A medalha de ouro conquistada por Inês Henriques nos 50 quilómetros marcha é o 19º pódio de sempre de Portugal em Mundiais de atletismo, o segundo em Londres, depois do bronze de Nélson Évora, no triplo saFelicitações disparam
Numa curta nota divulgada na página da Presidência da República na Internet, Marcelo Rebelo de Sousa deixou uma mensagem de felicitações pela conquista da medalha de ouro na prova feminina dos 50km marcha e pelo novo recorde mundial hoje estabelecido.

"Mais uma notável prestação de uma atleta portuguesa que eleva o nome de Portugal e projeta o atletismo e o desporto nacional", lê-se na nota.

O primeiro-ministro, António Costa, felicitou Inês Henriques considerando "um motivo de orgulho para Portugal" a medalha de ouro conquistada nos mundiais de atletismo que decorrem em Londres.

Também o ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, e o secretário de Estado da Juventude e Desporto, João Paulo Rebelo, felicitaram pela sua "inesquecível exibição".


A informação mais vista

+ Em Foco

Os dados do sistema de Informação de Fogos Florestais da União Europeia (EFFIS) indicam que só entre os dias 14 e 15 de outubro arderam em Portugal continental cerca de 200 mil hectares.

    Na primeira entrevista pós-autárquicas, à Antena 1, Jerónimo de Sousa não poupou nas palavras. Afirmou que o "Governo ficou mal na fotografia e subestimou a situação" dos fogos.

    Impostos, orçamentos, metas para o próximo ano. A RTP descodifica a proposta de Orçamento do Estado apresentada pelo ministro das Finanças esta sexta-feira.

      Acionar o artigo 155 da Constituição espanhola representa um momento único na História de Espanha. O Governo de Madrid já definiu os setores que quer controlar de imediato.